Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Melhoramento Genético de Raça Nelore no Pantal

19-11-2007

:. Do mesmo autor
Incremento de pastagem na planície pantaneira, Corumbá,MS

Seleção e descarte de matrizes no pantanal

Conservação do patrimônio genético, cultural e modelo pecuário

Cheia e Seca no Pantanal: Importância das Fazendas

A criação de gado bovino no Pantanal foi iniciada há quase três séculos, com a introdução de gado de origem européia (Bos taurus), vindo do Paraguai. Este contingente bovino, após se adaptar às condições do meio ambiente local, veio a formar o tipo crioulo denominado Tucura ou Pantaneiro. No início do século XX iniciou-se a introdução de gado zebu, de origem indiana (Bos indicus), que foi facilitada pela construção da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, em 1914. A partir de então, por meio de cruzamentos contínuos, as raças zebuínas absorveram praticamente toda a população original do Tucura.

Assim, o tipo de gado hoje existente no Pantanal é zebuíno, cuja base é formada pelas raças Gir, Guzerá e Indubrasil, principalmente das primeiras introduções, e pela raça Nelore, a partir dos anos 60. Atualmente, o rebanho pantaneiro apresenta predominância da raça Nelore, embora sejam registradas algumas iniciativas com relação ao uso de raças compostas e de cruzamentos entre raças européias e zebuínas. A população total é de aproximadamente 3,8 milhões de cabeças, sendo 2,8 milhões no Pantanal de MS e 1 milhão no Pantanal do MT.

Estima-se que são necessários para o Pantanal aproximadamente 27.000 touros/ano, admitindo-se que estes touros tenham uma vida útil de 5 anos, em média. Parte desta demanda (25%) é atendida pela utilização de touros “pontas-de-boiada”, ou seja, touros que se sobressaem na boiada comum, por apresentar alguma suposta superioridade sendo, por conseguinte, de valores genéticos questionáveis. Outros reprodutores (4%) são produzidos em plantéis, ou rebanhos de raça pura, mantidos no Pantanal geralmente sem controle e/ou registro genealógico. Além dos touros “pontas-de-boiada” e dos plantéis de seleção locais, outra fonte de reposição de touros é constituída por rebanhos de seleção criados em diversas fazendas localizadas no Planalto. A partir destas fazendas, bem como em leilões e exposições realizadas na região, os tourinhos são adquiridos e transferidos para o Pantanal nas mais diferentes idades.

No novo ambiente, as altas temperaturas, as cheias e principalmente a baixa disponibilidade e qualidade periódica das pastagens nativas constituem fontes de estresse para os animais observando-se, freqüentemente, perda de peso, redução do crescimento, diminuição da libido e até morte, em decorrência de um complexo de subnutrição e inadequação ao meio. Estas observações indicam haver respostas adaptativas de intensidade variável, conforme a idade do animal. Além disso, suspeita-se da atuação da interação genótipo versus ambiente, ou seja: a possibilidade de que a expressão do genótipo possa ser alterada, conforme os efeitos do meio ambiente sobre o animal. Ocorrendo na prática, esta interação pode se constituir em um fator complicador no processo de compra de animais de outras regiões para serem introduzidos no Pantanal.

Por outro lado, há relatos de experiências que indicam a associação da adaptabilidade, medida pelo escore da condição corporal, a características tais como altura e peso à maturidade dos touros, que podem variar entre linhagens ou biótipos, dentro da mesma linhagem. Além disso, touros Nelore “pantaneiros”, ou seja, provenientes de rebanhos de seleção dentro do próprio Pantanal, têm apresentado resultados os quais, em comparação com os de animais importados do planalto, apontam para a possibilidade de sucesso em programas de seleção na própria região.

Páginas: anterior 1 2 próxima Topo da página


Urbano Gomes Pinto de AbreuEnvie um email!
Pesquisador - EMBRAPA/CPAP

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

:. ARTIGOS RELACIONADOS

Artigos por assunto

Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
Copyright © 2000 - 2014 Agronline.com.br