Brasil, 16 de abril de 2014.
Ir para a página inicial Agrolinks Comunidade Ciência & Tecnologia Informação Negócios Publicidade
   
 
 Artigos
 Eventos
 Notícias
 Cadastre-se
 Agrociência
 Software
 Categorias
 Mais visitados
 Classificados





Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Efeito Estufa X Agricultura

29-03-2004

Por: Débora Marcondes Bastos Pereira Milori e Ladislau Martin Neto

A superfície terrestre absorve parte da radiação solar que incide sobre ela. Devido a esta absorção, ela esquenta e irradia energia infravermelha de volta para o espaço. Alguns gases presentes naturalmente na atmosfera absorvem esta radiação infravermelha e a reemitem de volta para a Terra, fazendo com que esta radiação fique “presa” na atmosfera terrestre causando um aquecimento global, o chamado Efeito Estufa. Se não fosse este efeito as temperaturas em nosso planeta seriam extremamente baixas, aproximadamente -20°C e os oceanos estariam congelados, impossibilitando o aparecimento de muitas espécies de vida na Terra. Os principais gases naturais reponsáveis por este efeito são: vapor de água (H2O), dióxido de carbono (CO2), metano (CH4), óxido nitroso (N2O) e ozônio (O3). Portanto, a presença destes gases na atmosfera faz parte de um ciclo vital na Terra.

Antes da revolução industrial, havia um equilíbrio de emissão e absorção dos gases do Efeito Estufa na Terra, isto é, o fluxo de entrada destes gases para a atmosfera era igual ao de saída (biossíntese), estabilizando a temperatura na Terra. Estima-se que em 1850 (época da disseminação da Revolução Industrial) a quantidade de CO2 na atmosfera era de 270 ppm (1. ppm = partes por milhão. Uma quantidade de 100 ppm equivale a 0,01%). Hoje, essa quantidade é de aproximadamente 360 ppm, um aumento de 33% . A utilização de combustíveis fósseis (carvão, óleo e gás natural) e a prática do desmatamento realizados em função da crescente demanda de energia no mundo, levaram este ciclo a um desequilíbrio. Cientistas avaliam que o aumento anual na concentração destes gases na atmosfera atualmente seja cerca de 0,5% para o CO2, 0,8% para o CH4 e 1% para o N2O (Bouwman, 1990). Além dos gases naturais, gases produzidos pelo homem em processos industriais também vem contribuindo para aumentar a intensidade do efeito estufa, como é o caso dos clorofluorcarbonetos. Este aumento da concentração destes gases absorverdores de radiação infravermelha tem sido relacionado ao aumento de aproximadamente 0,03ºC ao ano na temperatura do planeta. Acredita-se que se nenhuma atitude for tomada, até os meados deste século a temperatura da Terra tenha um incremento de 4 a 5 °C com relação a temperatura do planeta antes da revolução industrial.

Páginas: anterior 1 2 3 4 próxima Topo da página


Débora Marcondes Bastos Pereira MiloriEnvie um email!
pesquisadora - EMBRAPA/Cnpdia

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • aquecimento global x efeito estufa
    Efeito estufa é um processo natural e benéfico, mas, aquecimento global é a intensificação do fenômeno estufa e é maléfico. O texto está bom, entretanto, contém erros.
    Sandra - 30-07-2012 17:02h

  • Efeito Estufa X Agricultura
    Com toda certeza, temos que nos preocuparmos agora mais do que nunca, pois a atividade agrícola tem avaçado País afora, sem ser pensado nos efeitos negativos que estes avanços podem trazer, a começar pelo desmatamento, nós falamos e visamos desenvolvimento e não atentamos para os efeitos colaterais. Muito bom gostei do assunto.
    mauricio.santana - 01-09-2010 07:59h

  • adorei!!!!!!!!!!!!
    adorei o artigo,aprendi muito e ótimo aprender com quem entendi do assunto.muito obrigado...
    ana carolina - 15-07-2009 12:39h

  • Efeito estufa na agricultura
    Achei o artigo maravilhoso,pois, mostrou que não é só o CO2 que causa o efeito estufa,BEM COMO APRESENTOU MEDIDAS MITIGADORAS.
    Sandra Valéria - 08-05-2009 23:45h

  • Re: comentário
    Obrigada Manoel Lourenço Neto! Estarei enviando por e-mail algumas publicações.
    Débora Marcondes Bastos Pereira Milori - 14-06-2007 12:03h

  • comentário
    O artigo se configura no que existe de mais real. É de excelente qualidade. Sou graduando do curso de Gestão Ambiental (Último período), pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Gostaria muito de receber, se conveniente, alguns artigos por você escritos, por entender que, certamente estarei enrequecendo os meus conhecimentos. Parabéns.
    Manoel Lourenço Neto - 29-05-2007 19:48h

  • Gases oluentes
    Achei excelente a matéria. Preciso saber para trabalho de escola, quais os indices de poluição de cada gas. Estou no aguardo. Grata, Marlene
    Marlene - 27-10-2004 15:41h

  • interface e avanços
    Prezada Débora e Ladislau, Há longa data já é de meu conhecimento a qualidade do trabalho desenvolvido por vocês e vossa equipe. Mesmo assim gostaria de parabenizá-los pela clareza e precisão do texto nessa temática complexa que é o aquecimento global e sequestro de C no solo. Quanto a pesquisa sobre o sensor de MO, cada vez aumenta mais minha convicção de que expressivos avanços na pesquisa agropecuária poderão ser alcançados somente em projetos que envolvam interdisciplinariedade na sua essência, e nesse sentido destaco a minha satisfação na parceria em pesquisa desenvolvida com grande êxito nesses 8 anos com a vossa equipe. Atenciosamente, Prof. Cimélio Bayer UFRGS-Departamento de Solos
    Cimélio Bayer - 19-10-2004 16:40h

  • Re: Parabéns!
    Caro prof. Odilon Obrigada por seu comentário. Isso nos impulsiona a continuar nosso trabalho apesar das dificuldades. Um abraço cordial, Débora
    Débora Marcondes Bastos Pereira Milori - 14-09-2004 05:42h

  • Parabéns!
    Gostaria de parabeniza-la pela qualidade do artigo. Com certeza as informações contidas neste material contribuirao muito com meio agropecuário. Um abraço cordial. Prof. Odilon Oliveira (Universidade do Estado de Mato Grosso)
    Prof. Odilon - 04-09-2004 11:28h

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS
    Os solos e o meio ambiente
    Poluição por pesticidas no Pantanal
    Mudança climática deixa o mundo em perigo
    Agricultura itinerante na amazônia
    Processo de arenização no sudoeste do Rio Grande do Sul
    A utopia do repovoamento
    Agricultura irrigada X Saúde ambiental: existe um conflito?
    Pantanal: Um bioma ameaçado
    Queimada controlada no Pantanal
    Corredores Ecológicos e Ecoturismo no Pantanal
    Pantanal registra o mais longo e intenso ciclo de cheia
    Os caminhos da convivência com a seca
    Pesquisa, meio ambiente e produção no pantanal
    Levantamento aéreo como ferramenta para conservação da biodiversidade no pantanal
    Por uma ética climática
    Caatinga: patrimônio brasileiro ameaçado
    A importância dos estudos limnológicos: 16 anos no pantanal
    Ocorrência do fenômeno natural “dequada” no pantanal.
    A Problemática Socioeconômica e Ambiental da Bacia do Rio Taquari e Perspectivas
    Os Pulsos de Inundação e o Rio Taquari
    O Mexilhão Dourado causará danos ecológicos na Bacia do Miranda
    Pantanal: Risco de Contaminação por Biocidas
    Cercas Ecológicas
    Desempenho Ambiental e Sustentabilidade
    Qualidade Ambiental e Ecoeficiência: nova postura
    Sistema de Gestão e Proteção Ambiental
    Balneabilidade e Riscos à Saúde Humana e Ambiental
    Água: Esgotabilidade, Responsabilidade e Sustentabilidade
    Resíduos: “É Preciso Inverter a Pirâmede – Reduzir a Geração”!
    A soja e o Protocolo de Quioto
    Irrigando o feijoeiro
    Arquitetura, agricultura e floresta sustentável – encontrando uma nova abordagem dos cenários rurais
    Sistemas agroflorestais e a conservação do solo
    Desmatamento em Roraima: interpretando dados oficiais
    Do monocultivo ao uso de sistemas agroflorestais
    Penas de aves como indicadores de mercúrio no pantanal
    Índice de qualidade de bacia – nova proposta para gestão da bacia do rio Miranda
    Os habitats do jacaré-paguá no entorno do Pantanal
    Programa de gestão ambiental da Embrapa Pantanal
    Determinação de impactos e conservação dos recursos hídricos na bacia do alto Paraguai
    Cumbaru no pantanal
    Coleção Guias de Convivência Gente e Onças
    Código Florestal Brasileiro: área de preservação permanente e reserva legal

    Copyright © 2000 - 2014 Agronline.com.br