Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 

Horticultura

Devido à localização na fronteira com a Bolívia, e também à grande carência de assistência técnica na área da produção rural no país vizinho, é freqüente a procura por esse tipo de informações na Embrapa Pantanal.
Autor: Alexandre Dinnys Roese
2008 foi declarado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Ano Internacional da Batata para combate às más condições de vida e alimentação nos países em desenvolvimento. Uma solução para o combate à fome e à pobreza no Brasil, porém, pode estar em um alimento mais barato, produzido e bastante consumido na região Nordeste: o inhame. “O inhame é um alimento tão consumido no nordeste brasileiro, que chega a ser usado como substituto do pão. O custo médio do quilo fica em torno de R$ 1,80 – contra os cerca de R$ 2,20 do quilo de batata”, explica Marcos Crivelaro, professor PhD da FIAP – Faculdade de Informática e Administração Paulista e da Faculdade Módulo. “Essa espécie produz tubérculos de alto valor nutritivo e energético, constituindo um alimento básico para o consumo humano. Testes de laboratório da farinha de inhame no preparo de farinhas mistas panificáveis evidenciaram a possibilidade de seu uso em substituição ao trigo e à mandioca, com maiores vantagens. A exemplo disso, diferentemente do trigo, do centeio, da cevada e da aveia, o amido do inhame não possui glúten”, ressalta. O especialista em matemática financeira destaca ainda que, se incentivado, o plantio de inhame seria responsável pela geração de um grande número de empregos nas regiões rurais, levando ao desenvolvimento da economia local. “As fecularias nacionais extraem 500 mil toneladas/ano do branco e fino amido de mandioca. Isto poderia ser triplicado com o incremento da cultura do inhame, gerando 300 mil empregos no campo, principalmente de mulheres, como ocorre na África”.
Autor: Marcos Crivelaro
Sementes peletizadas constituem uma fonte alternativa na produção de hortaliças com sementes pequenas, sendo necessário disponibilizar métodos para avaliação da sua qualidade fisiológica.
Autor: Simone Medianeira Franzin

Artigos por assunto

Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
Pesquisar artigos

Rank TOP 10

Publique seu artigo!

Artigos recentes!

Artigos A - Z!
Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br