Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Desmama de bezerros com base no desenvolvimento corporal

Página 2/2

:. Do mesmo autor
Irrigação e adubação nitrogenada do capim Tanzânia em Parnaíba - Piauí

Produção de matéria seca do capim Cameroon Parnaíba - Piauí

Desmama baseada no desenvolvimento corporal

Há evidências de que o impacto da desmama é menos severo nas crias quando estas são desmamadas com base no peso vivo (tamanho corporal) do que de acordo com a idade, pois permite que essa prática ocorra mais próximo de uma idade fisiológica mais eqüitativa das crias.

Análise de resultados de pesquisa conduzida pela Embrapa Meio-Norte confirma essas evidências indicando que o desenvolvimento corporal é um critério seguro para desamamentar. A tabela abaixo ilustra essa

assertiva para as crias fêmeas.

Tabela 1 - Pesos vivos médios do nascimento até os 24 meses de idade e eventos reprodutivos de crias fêmeas holando-zebu desmamadas com base no desenvolvimento corporal.

Nessa tabela, observa-se que crias fêmeas com peso médio ao nascimento de 28,0 kg, se desmamadas com peso vivo em torno de 65kg, ou seja, uma equivalência de peso entre 2,0 e 2,5 vezes o peso ao nascimento, alcançam, aos 24 meses de idade, uma média de peso em torno de 309kg. Observa-se também que a idade à primeira parição dessas crias e a das que foram desamamentadas com base na idade de 150 dias são muito próximas com uma diferença apenas de 2,1 meses. Além disso, o grupo de fêmeas desmamadas com base no desenvolvimento corporal proporcionou uma redução média no consumo de leite de até 43%.

Como efetuar a desmama

Para que a desmama seja realizada com sucesso, é necessário que algumas boas práticas de manejo ou de cuidados com as crias sejam adotadas a partir do nascimento:

- Certificar-se de que as crias mamaram o colostro durante as primeiras 48 horas de vida;

- Alimentar as crias com quatro litros de leite, no balde, a partir do 3o dia até completarem 1 semana de vida;

- Fornecer 3 litros de leite de uma só vez, à tarde, a partir da 2a semana de vida;

- Complementar essa dieta líquida com ração concentrada inicial, contendo baixo teor de fibra (6-8 %) e elevados níveis de proteína (18-20%) e de energia e adequados de minerais e vitaminas. A ração inicial deve ter textura grosseira (não ser muito fina);

- Colocar à disposição dos animais volumoso de boa qualidade (feno de capim Tífton ou de Coast Cross);

- Colocar um pouco da ração inicial na boca do bezerro ou no fundo do balde contendo leite;

- Colocar água limpa e fresca à disposição das crias, à vontade.

Ao atingir o peso corporal equivalente a 2,0 – 2,5 vezes o seu peso ao nascer, a cria deverá ter o seu suprimento de leite suspenso definitivamente, passando a receber a ração acima especificada, limitada ao máximo de 1,0kg por animal por dia, para estimular o consumo de volumoso, inicialmente o feno e posteriormente o pasto.

Páginas: anterior 1 2 próxima Topo da página


Expedito Aguiar LopesEnvie um email!
Pesquisador - EMBRABA/CNPC

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • DESMAMA DE BEZERROS
    OBRIGADO PELA MATERIA, POIS TENHO INTERECE DE IMPLANTAR EM MINHA PROPRIEDADE UM SISTEMA QUE MELHORES RESULTADOS FINAIS.
    CARLOS FERNANDES - 01/02/03 18:31

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS

    Artigos por assunto

    Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
    Copyright © 2000 - 2021 Agronline.com.br