Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Avaliação do desenvolvimento da Palma Forrageira Opuntia fícus-indica Mill. cv. Gigante

01-06-2009

:. Do mesmo autor
Mandioca na Alimentação animal

Determinação do ponto de feno do capim-elefante roxo (Pennisetum purpureum Schum.) CV. roxo por meio de secagem à sombra e ao sol.

A palma é possivelmente o mais importante recurso forrageiro das regiões áridas e semi-áridas do Nordeste do Brasil, onde, o sistema de cultivo tradicional é caracterizado pela baixa adoção de tecnologias, espaçamentos largos e muitas vezes ausência de adubação, conseqüentemente levando à obtenção de uma produtividade inferior àquela que a cultura poderia produzir.

Com o objetivo de avaliar o desenvolvimento da palma forrageira submetida ao plantio adensado e adubações, foi realizado um experimento no período de outubro de 2006 a outubro de 2007 no município de Rafael Jambeiro na região semi-árida do estado da Bahia. Para avaliação utilizou-se a espécie Opuntia fícus-indica Mill. cv gigante, em plantio adensado, submetida a adubações orgânica e química. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com 4 repetições e 4 tratamentos: testemunha, adubação orgânica (esterco de bovinos), adubação química, e adubação orgânica + adubação química. No plantio foi utilizado um artículo por cova no espaçamento de 1m entre linhas e 0,25 m entre plantas, totalizando 18 plantas em uma área de 4,5 m2 (1,5 x 3,0 m). A colheita foi realizada 12 meses após, a partir dos artículos secundários, conservando-se na planta os artículos primários. Para as variáveis número de artículos e peso médio de artículos por planta, a análise de variância revelou efeito não significativo (P>0,05) pelo teste de F entre os tratamentos. A média geral foi respectivamente 4,8 e 0,81kg. Para as variáveis massa seca e área de artículo, a análise de variância revelou efeito significativo (P<0,05) e (P<0,06) pelo teste de F respectivamente. A média geral alcançada por planta foi 0,40 kg para massa seca e 621,54 cm2 para área de artículo. As adubações utilizadas nos tratamentos contribuíram significativamente para o melhor desempenho da planta.

Jorge de AlmeidaEnvie um email!
Agrônomo - EBDA
Carlos Alan Couto dos SantosEnvie um email!
Professor - FADBA
Jorge de Almeida FilhoEnvie um email!
Estudante - EBDA

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

:. ARTIGOS RELACIONADOS

Artigos por assunto

Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
Copyright © 2000 - 2014 Agronline.com.br