Agronline
Página inicial dos artigos
Notícia
 
Agricultura
 
Agronegócios
 
Geral
Pecuária
 
Política
 
Tecnologia
 
Inicio > Agronegócios
Preços ainda resistem a aumento da produção
Cepea, 28 – A produção de leite aumentou 2,4% em julho, segundo o Índice de Captação do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. O volume extra em relação à oferta de junho, no entanto, não pressionou as cotações na média geral das regiões acompanhadas pelo Centro. O preço bruto do leite ao produtor em agosto – produto entregue em julho – foi de R$ 0,7743/litro na média de sete estados pesquisados pelo Cepea (RS, SC, PR, SP, MG, GO e BA). Esse valor representa ligeiro aumento de 0,32% sobre o pagamento de julho. Nos três meses anteriores, houve reajustes de 6%, 7% e 9% respectivamente.

Para o próximo mês, 73% dos compradores de leite, que representam 76% do volume total captado pelas empresas que compõem a amostra do Cepea, acreditam que os preços ao produtor cairão, sinalizando que o “pico” de preços deste ano teria passado.

Pesquisadores do Cepea explicam que dois fundamentos principais justificam a expectativa de baixa dos compradores – a propósito, são os mesmos que deram sustentação aos aumentos recentes. Um é o volume de leite produzido e o outro, o comportamento dos derivados no mercado atacadista.

Pelo lado produção, é normal haver retomada do volume nesta época do ano devido à suplementação que continua sendo oferecida ao rebanho da região Centro-Sul e também pelo fato de a produção gaúcha ser favorecida nesta época pelas pastagens de inverno. A oferta nacional, normalmente, se mantém crescente até dezembro.

Na parcial deste ano, no entanto, o volume captado está 6% menor que o do mesmo período do ano passado. Pesquisadores do Cepea explicam que isso reflete o forte aumento da produção no segundo semestre de 2007 e primeiro de 2008, quando o preço do leite ao produtor e também a relação de troca por alimentos (milho e farelo de soja) estiveram bastante atrativos. Já se a comparação do volume dos sete meses de 2009 for feita com igual período de 2007, constata-se aumento de 14,19%, o que representaria margem de crescimento por volta de 7% ao ano.

Quanto ao segmento de derivados, o preço do UHT, que havia subido muito até junho – chegou a R$ 2,13/litro no atacado, maior preço nominal e deflacionado da série do Cepea iniciada em julho de 2004 – recuou 13,2% em julho, com a média passando para R$ 1,85/litro. Essa tendência de queda dos valores perdura em agosto, conforme levantamentos preliminares.

AGOSTO – Entre os estados da pesquisa do Cepea, somente o Rio Grande do Sul e a Bahia registraram aumentos de preços, mesmo assim inferiores a 2 centavos por litro. Com isso, os preços brutos, sem o desconto do frete e de 2,3% do CESSR, nestes dois estados fecharam em R$ 0,7509/litro e R$ 0,6234/litro, respectivamente.

Ao mesmo tempo, no Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Rio de Janeiro, as variações, para cima ou para baixo, foram de até 0,5 centavo/litro. São Paulo continuou com a maior média, de R$ 0,8171/litro.

Em Santa Catarina, o recuo foi de 1,4 centavo/litro, com a cotação média do estado em R$ 0,754/litro. Já para os produtores sul-mato-grossenses, a queda chegou a 4,7 centavos/litro, que resultou num preço médio de R$ 0,6063/litro, tornando-se assim a menor cotação dos nove estados acompanhados pelo Cepea.

Data: 28-08-2009
Fonte: Cepea.Esalq.Usp
  Enviar está notícia por e-mail  Imprimir esta notícia 

Notícias relacionadas
»Sicredi marca presença na 4ª Semana Nacional de Educação Financeira
»Com foco em produtos sustentáveis, Arysta LifeScience participa do CPAgro 2017 da Copacol
»FMC estimula produtores a praticar ações eficazes de manejo na AgroBrasília 2017
»CARNE FRACA: Mapa anuncia ações contra fraudes a embaixadas de 29 países
»Laticínios Davaca aposta em ERP da Sankhya para melhorar a gestão do negócio e sustentar ritmo de crescimento acelerado

Notícias anteriores
25/Mai-01/Jun  02-09/Jun  10-17/Jun  18-25/Jun    

Noticias recentes

Copyright © 2000 - 2020 Agronline.com.br