Agronline
Página inicial dos artigos
Notícia
 
Agricultura
 
Agronegócios
 
Geral
Pecuária
 
Política
 
Tecnologia
 
Inicio > Agricultura
MT - Mapa altera prazo de plantio em Mato Grosso
O Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) alterou o prazo para plantio das lavouras de soja em Mato Grosso. De acordo com as novas regras para o zoneamento agrícola, agora a semeadura das lavouras terá de ser feita no período de 21 de outubro a 31 de janeiro.

A nova orientação revoga a portaria 136, veiculada em 22 de julho, e atrasa em pelo menos 30 dias o período de plantio da safra 2009/2010 no Estado, já que o ciclo de semeadura na região tradicionalmente começa a partir de 16 de setembro, após o término do “vazio sanitário” no dia 15.

O zoneamento é definido pelo Mapa e deve ser seguido para quem tem interesse no Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e no seguro agrícola, que estão vinculados ao zoneamento, portanto ao novo período de semeadura.

De acordo com o Mapa, o zoneamento agrícola identifica para cada região a melhor época de plantio das culturas, por meio de análise de séries climáticas históricas do ciclo das cultivares e tipo de solo. O objetivo, segundo os técnicos, é minimizar os riscos de ocorrência de adversidades climáticas coincidentes com as fases mais sensíveis das culturas.

O pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados, MS), Cláudio Lazzarotto, acredita que fatores climáticos devem ter influenciado a mudança na recomendação do período de semeadura. “Nos últimos anos, principalmente de 2003 para cá, as chuvas foram irregulares e as perdas das lavouras muito grandes, estas influenciadas inclusive pela excessiva antecipação da semeadura por parte dos agricultores”, analisa.

Segundo especialistas, caso o início do plantio fique restrito a partir da última quinzena de outubro, a produção ficaria seriamente comprometida, já que algumas variedades de soja apresentam melhor produtividade se plantadas no começo do mês. “Quando o produtor compra a semente, já estabelece uma programação de plantio em função inclusive do cultivo da safrinha de milho ou mesmo o plantio do algodão”, afirma o vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Famato), Ricardo Arioli.

Para definição do zoneamento, o governo federal leva em conta critérios como temperatura e umidade, mas, segundo especialistas, outros fatores também devem ser considerados, como a variedade da semente e o chamado “período juvenil”, que é o tempo de desenvolvimento vegetativo de cada planta. O produtor não é obrigado a cumprir o zoneamento, mas, caso não obedeça às regras, poderá não ter direito a financiamentos da safra – crédito oficial - ou seguro agrícola.

“Hoje, é difícil o produtor que tem condições de plantar e produzir somente com recursos próprios”, explicou o produtor e agrônomo Nivaldo Batista.

A questão do zoneamento agrícola é importante, conforme as instituições, pois os bancos o levam em consideração para o pagamento do seguro. Se o produtor planta o grão e têm perdas, só recebe o prêmio se faz o cultivo dentro do prazo estipulado, explicam os técnicos.

O zoneamento é feito de acordo com a altitude, temperatura e solo de cada região, estabelecendo para cada uma delas o período adequado para o melhor rendimento da planta e para orientar o sistema financeiro – bancos e seguradoras – na liberação dos créditos e cobertura dos riscos.

Data: 19-08-2009
Fonte: Mapa
  Enviar está notícia por e-mail  Imprimir esta notícia 

Notícias relacionadas
»Resistência na ferrugem da soja ganha força
»Resistência na ferrugem da soja ganha força
»Produtores do RS já colheram 8,5 milhões de toneladas de arroz
»SC quer erradicar cancro europeu dos pomares de maçã
»Curso Internacional de Sementes: Fisiologia e Qualidade

Notícias anteriores
09-16/Out  17-24/Out  25/Out-01/Nov  02-09/Nov    

Noticias recentes

Copyright © 2000 - 2019 Agronline.com.br