Agronline
Página inicial dos artigos
Notícia
 
Agricultura
 
Agronegócios
 
Geral
Pecuária
 
Política
 
Tecnologia
 
Inicio > Agricultura
Tecnologias ajudam no combate a pragas em cultivares da soja
As primeiras lavouras de soja do Brasil foram plantadas na Bahia, em 1882. Mas o grão foi adotado em escala comercial no sul do Brasil, nos anos 1900. As primeiras variedades eram americanas. A primeira cultivar desenvolvida no país foi a doko, oferecida ao produtor em 1980. De lá para cá, foram desenvolvidas variedades de soja com características adaptadas a cada tipo de solo e clima, de praticamente todas as regiões brasileiras.

O produtor Onivaldo Dante, de Cambé, norte do Paraná, planta pelo menos quatro variedades de soja em cada safra. Ele segue critérios técnicos na hora de escolher cada uma.

— São várias características. Além de a produção ter que ser boa, tem que ter bom enraizamento, para não morrer, resistente ao acamamento. E há também a questão de doenças. Existem variedades que ainda dão muito oídio e, como o oídio é uma doença inicial, se a variedade é resistente já é um fator bem importante — diz Dante.

Os institutos de pesquisa trabalham para atender necessidades específicas dos produtores brasileiros, já que, pela sua extensão, o Brasil tem solo, clima e até latitudes muito diferentes.

Há mais de 30 anos, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) busca na genética a resposta para melhorar a produtividade e aumentar a resistência e a capacidade de adaptação das cultivares.

— Na verdade a soja tem uma adaptação restrita. Quando você lança uma cultivar no mercado, ela tem adaptação a certas faixas de latitude em função do fotoperíodo. Ela responde ao fotoperíodo, ao número de horas de escuro. Então, as cultivares lançadas aqui para o Paraná têm uma adaptação restrita a essa nossa faixa de latitude aqui. Se você vai subir para o Brasil central, para um Estado mais ao norte, Minas ou Goiás, Bahia, por exemplo, elas não vão ter adaptação. Não vão dar porte adequado para colheita mecânica e o rendimento vai ficar muito baixo. Por isso, os programas de melhoramento têm que trabalhar regionalmente conforme as faixas de latitude — explica o pesquisador da Embrapa Soja Antônio Eduardo Pípolo.

A ferrugem asiática, que assusta o produtor desde que chegou ao Brasil, em 2001, também é alvo de muitas pesquisas.

— A gente sabe que a ferrugem tem sido a principal doença na cultura da soja. A partir deste ano, o produtor tem a possibilidade de utilizar uma nova ferramenta. É uma ferramenta que vai acrescentar alguma coisa, não vai substituir nenhuma outra. Então, não é uma proposta de, por exemplo, a soja inox substituir uma aplicação de fungicida. Muito pelo contrário, ela vai agregar uma tranquilidade e uma possibilidade de controle mais efetivo da ferrugem. Então, esse é um ponto bastante importante que eu acho que vai ser um marco para a sojicultura, principalmente do Mato Grosso, que é o Estado que talvez mais sofra com a ferrugem asiática — completa o pesquisador Sérgio Suzuki.

O combate às pragas também exige atenção dos pesquisadores e produtores. O Paraná está lançando o MIP, um programa de manejo integrado de pragas para reduzir o uso de produtos químicos na lavoura e preservar o meio ambiente. O Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) é um dos parceiros no projeto.

— A soja tolera, até a época do florescimento, entre 25 e 30% de desfolha. Então, o produtor não precisa ficar tão afobado em utilizar o inseticida. Muitas vezes, ele faz isso achando que está economizando, mas na realidade está gastando. E pior, ao usar um produto muito cedo, ele interrompe o que a gente chama de colonização de inimigos naturais — conclui o pesquisador do Iapar, Rodolfo Bianco.

Data: 11-08-2009
Fonte: Canal Rural
  Enviar está notícia por e-mail  Imprimir esta notícia 

Notícias relacionadas
»Resistência na ferrugem da soja ganha força
»Resistência na ferrugem da soja ganha força
»Produtores do RS já colheram 8,5 milhões de toneladas de arroz
»SC quer erradicar cancro europeu dos pomares de maçã
»Curso Internacional de Sementes: Fisiologia e Qualidade

Notícias anteriores
27/Out-03/Nov  04-11/Nov  12-19/Nov  20-27/Nov    

Noticias recentes

Copyright © 2000 - 2019 Agronline.com.br