Agronline
Página inicial dos artigos
Notícia
 
Agricultura
 
Agronegócios
 
Geral
Pecuária
 
Política
 
Tecnologia
 
Inicio > Agricultura
SC - Santa Catarina pode tornar-se produtora de azeitonas
Florianópolis - Uma pesquisa iniciada em 2005 para viabilizar a produção de azeitonas em terras catarinenses está dando os primeiros frutos. “Apenas dois anos e quatro meses após o plantio, unidades de São Lourenço do Oeste, Campo Erê e Campos Novos e as unidades demonstrativas de Caçador e Catanduvas fizeram a primeira colheita no início do ano”, comemora o coordenador do projeto de oliveiras da Epagri, engenheiro florestal Dorli Mário da Croce.

O objetivo do trabalho, realizado pela Epagri/Centro de Pesquisa para a Agricultura Familiar – Cepaf –, é encontrar variedades que possam ser cultivadas pelos pequenos agricultores para a produção de conserva e azeite de oliva. “Há variedades promissoras, com frutos de ótima qualidade, e os estudos com o azeite tiveram bons resultados”, destaca Dorli.

As oliveiras foram plantadas em 18 unidades de pesquisa e duas unidades de observação distribuídas pelo Estado. “Temos árvores em frutificação em São Lourenço do Oeste, Campo Erê, Chapecó, Caçador, Campos Novos, Ituporanga e Rio dos Cedros. Há outras regiões promissoras, com tendência de floração e frutificação mais tardias, como Canoinhas e Urussanga”, conta o pesquisador.

Das 35 variedades em teste, algumas não se adaptaram às condições do Estado pela ocorrência de geada, neve ou umidade. De acordo com Dorli, onde as chuvas são bem distribuídas, a chance de sucesso é maior. “Já em regiões onde há alta umidade do ar e precipitações elevadas em algumas épocas do ano, principalmente no período de floração, o resultado pode ser prejudicado”, conta.

O Brasil gasta US$250 milhões por ano com importação de derivados da oliveira. Os pesquisadores acreditam que, se a olivicultura for comercialmente viável, o abastecimento do mercado interno pode se tornar uma alternativa de renda para as famílias rurais do Estado. “Apesar dos resultados, ainda é cedo para indicar uma variedade para ser plantada nas propriedades. As recomendações de cultivares devem levar de dois a três anos para serem conclusivas”, diz Dorli.

Mais informações sobre o projeto estão disponíveis na RAC vol. 22, n° 2.

Informações:

Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina - Epagri

(48) 3239-5500, fax: (48) 3239-5597

http://www.epagri.rct-sc.br/

Data: 10-08-2009
  Enviar está notícia por e-mail  Imprimir esta notícia 

Notícias relacionadas
»Resistência na ferrugem da soja ganha força
»Resistência na ferrugem da soja ganha força
»Produtores do RS já colheram 8,5 milhões de toneladas de arroz
»SC quer erradicar cancro europeu dos pomares de maçã
»Curso Internacional de Sementes: Fisiologia e Qualidade

Notícias anteriores
28/Out-04/Nov  05-12/Nov  13-20/Nov  21-28/Nov    

Noticias recentes

Copyright © 2000 - 2019 Agronline.com.br