Agronline
Página inicial dos artigos
Notícia
 
Agricultura
 
Agronegócios
 
Geral
Pecuária
 
Política
 
Tecnologia
 
Inicio > Geral
Pesquisa mostra relação da atividade agropecuária com o desmatamento na Amazônia
O uso de técnicas estatísticas com base em dados atuais tem ajudado cientistas a identificar os diferentes usos de solo nas áreas desmatadas e a comprovar matematicamente a relação das atividades agropecuárias com a derrubada da floresta amazônica. O trabalho realizado pela Embrapa nos Estados de Rondônia e Acre compara a evolução do rebanho bovino com o desmatamento em um período de cinco anos. As áreas utilizadas para agricultura e o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) também foram considerados.

Em linhas gerais, o estudo mostra que, além da pecuária estar presente em todos os municípios onde há derrubada de floresta, a maior concentração do rebanho está justamente nas regiões com mais de 80% da área desmatada. É o caso dos municípios de Jaru e Cacoal, localizados na região central de Rondônia, principal bacia leiteira da Amazônia.

A concentração de cabeças de gado nos municípios dessa região de Rondônia supera a de Estados como Santa Catarina e é encontrada em poucas partes do Rio Grande do Sul, por exemplo. Existem de 100 a 297 cabeças de gado por km² de área municipal, de acordo com o IBGE. Não por menos, Rondônia movimentou U$ 197,532 milhões com o comércio de carne bovina para o exterior no primeiro semestre do ano passado, o que fez do Estado o quarto maior exportador do produto no Brasil.

Análise fatorial

Para lidar com a grande quantidade de variáveis envolvidas no estudo, os pesquisadores utilizaram uma técnica estatística chamada análise fatorial. O objetivo é condensar a informação, reduzindo o número de variáveis sem grandes perdas de dados, explica o pesquisador Samuel José de Magalhães Oliveira, da Embrapa Rondônia, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Foram considerados sete indicadores: efetivo (ou rebanho) bovino, área antropizada (ou desmatada), IDH-M, área municipal e áreas com cultivo de mandioca, soja e milho. A relação mais evidente entre os indicadores é entre área desmatada e rebanho bovino. É o que acontece na bacia leiteira de Rondônia e na região próxima a Rio Branco, no Acre.

Mas são também esses municípios que apresentam índices de desenvolvimento humano mais alto, em torno de 0,75. O IDH-M no Brasil varia aproximadamente de 0,4 a 0,9, de acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). “Esse aspecto é revelador porque não é em todos os lugares que existe essa relação entre pecuária e desenvolvimento humano e também por mostrar que a pecuária não está apenas nas regiões menos desenvolvidas da Amazônia”, diz o pesquisador Samuel Oliveira.

O estudo mostra também o início de um processo de redução da atividade pecuária na região conhecida como Cone Sul do Estado de Rondônia. Pastagens degradadas dão lugar a lavouras mecanizadas de arroz e soja. O preparo do solo para o cultivo de grãos permite aproveitar áreas já abertas, evitando a derrubada da floresta.

O monitoramento das tendências de evolução da pecuária bovina é apontado pelos pesquisadores como uma ferramenta importante para a definição de ações preventivas e políticas públicas para evitar o desmatamento na região. A pesquisa parte agora para a definição de cenários futuros. Serão utilizados modelos matemáticos para tentar identificar as tendências do setor. Os trabalhos fazem parte do projeto “Impactos ambientais, econômicos e sociais da bovinocultura de corte”, do qual fazem parte a Embrapa Rondônia, Embrapa Pantanal, Embrapa Cerrados e Embrapa Acre.

Data: 13-04-2009
Fonte: Embrapa
  Enviar está notícia por e-mail  Imprimir esta notícia 

Notícias relacionadas
»Inscrições para encontro de gestores de Bancos de Alimentos podem ser feitas até dia 22
»FAZU (Faculdades Associadas de Uberaba) quer se tornar referência internacional em produção agropecuária para os trópicos
»Treinamento abordará dietas para bovinos de corte
»Zootecnia de precisão é tema da sala paralela da Farmcontrol na PorkExpo 2014
»FAEMG participa de Seminário do Soja Plus

Notícias anteriores
16-23/Set  24/Set-01/Out  02-09/Out  10-17/Out    

Noticias recentes

Copyright © 2000 - 2014 Agronline.com.br