Agronline
Página inicial dos artigos
Notícia
 
Agricultura
 
Agronegócios
 
Geral
Pecuária
 
Política
 
Tecnologia
 
Inicio > Agronegócios
Safra de grãos deve chegar a 160,06 milhões de toneladas
A produção nacional de grãos da safra 2011/2012 deve chegar a 160,06 milhões de toneladas, 1,7% inferior à obtida na safra 2010/2011, quando atingiu 162,80 milhões de toneladas. Esse resultado representa uma redução de 2,74 milhões de toneladas, segundo estimativas da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) que será anunciada nesta terça-feira, dia 10 de maio, em Brasília, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A projeção de área plantada é de 52,06 milhões de hectares, 3,6% maior do que a cultivada na safra 2010/11, de 49,80 milhões de hectares. Isso representa um aumento de 1,81 milhões de hectares, de acordo com os dados do oitavo balanço da safra 2011/12.

As maiores reduções foram verificadas na soja, que apresentou queda de 8,64 milhões de toneladas, e no arroz, cuja retração foi de 1,81 milhão de toneladas. O recuo se deve, principalmente, às condições climáticas não favoráveis, principalmente no período entre 15 de novembro/2011 e 15 de janeiro/2012, que afetaram mais as lavouras de milho e de soja, sobretudo nos estados da região Sul, parte da Sudeste e no sudoeste de Mato Grosso do Sul. Em compensação, para o milho segunda safra, a previsão indica crescimento de 40,5%, equivalente a 8,70 milhões de toneladas.

Entre as principais culturas de verão, as de milho primeira e segunda safras e soja apresentam crescimento, com destaque para o milho segunda safra, que cresceu 21,7% ou 1,280 milhão de ha, seguido da soja, com ganho de 3,5% (9 mil ha) e do milho primeira safra, com ganho de 4,6% ou seja, de mais 366 mil ha.

As culturas de arroz e feijão apresentam redução na área. O feijão, em função de problemas na comercialização, dificuldades climáticas na região Nordeste e dos preços deprimidos durante o estabelecimento da primeira safra. O arroz, pela falta de água nos reservatórios, aumento no custo de produção e preços pouco atrativos.

No semiárido nordestino, a estiagem castiga a produção em geral com queda de 40,1% em relação à safra passada, o que significa uma queda da produção de 1,24 milhão de t de produtos a menos, basicamente de milho e feijão.

O levantamento contempla informações já definidas para as áreas cultivadas com as culturas de verão de primeira safra. Para as culturas de inverno na região Centro-Sul, culturas de segunda safra na região Centro-Sul e as culturas da região Norte/Nordeste. Com exceção das áreas de Cerrado, o plantio está em andamento, portanto, as áreas ainda não estão definidas.

O estudo de campo envolveu 60 técnicos da Conab Matriz e Superintendências Regionais, que fizeram entrevistas e aplicaram questionários junto a agrônomos e técnicos de Cooperativas, Secretarias de Agricultura, órgãos de assistência técnica e extensão rural (oficiais e privados), agentes financeiros e revendedores de insumos.

Data: 10-05-2012
Fonte: Mapa
  Enviar está notícia por e-mail  Imprimir esta notícia 

Notícias relacionadas
»Valtra e concessionária Pampa (MT) realizam evento “Pulverizando Conhecimento”
»Seminário internacional de industrialização da carne será um dos eventos paralelos da MERCOAGRO 2014
»Produtores de grãos do Brasil projetam margem reduzida na safra 2014/15
»Agro exporta quase US$ 50 bi no primeiro semestre
»Com crescimento de 119%, Sul quer ser o maior produtor de leite do Brasil

Notícias anteriores
20-27/Jun  28/Jun-05/Jul  06-13/Jul  14-21/Jul    

Noticias recentes

Copyright © 2000 - 2014 Agronline.com.br