Agronline
Página inicial dos artigos
Notícia
 
Agricultura
 
Agronegócios
 
Geral
Pecuária
 
Política
 
Tecnologia
 
Inicio > Agronegócios
Embargo Argentino prejudica exportações de carne suína: vendas caíram 85% em fevereiro
No acumulado do ano, exportações aumentaram 1,37% em relação a 2011; queda no volume e na receita em fevereiro

As exportações de carne suína aumentaram 1,37% no acumulado deste ano em relação a igual período de 2011: o Brasil exportou 74.882 toneladas, em relação a 73.869 t em janeiro e fevereiro do ano passado. A receita, porém, caiu 0,65% no período: US$ 192,35 milhões, ante US$193,61 milhões nos dois primeiros meses de 2011.

Em fevereiro, isoladamente, as vendas externas de carne suína caíram 4,95% em volume (37.126 t) e 5,02% em valor (US$95,53 milhões), na comparação com fevereiro de 2011.

Argentina, retração de 85% nas vendas em fevereiro - As medidas restringindo a entrada de carne suína na Argentina levaram, em fevereiro, a uma queda acentuada nas vendas para aquele destino: 84,97% em volume (478 t) e 84,16% em receita US$ 1,51 milhão. O comércio praticamente parou.

"A ABIPECS continua na esperança que o governo federal, por meio de atitudes e medidas práticas firmes, reverta o quadro, restabelecendo as exportações para o país vizinho. O Brasil importa significativos volumes de produtos agropecuários da Argentina. O Brasil exportou cerca de US$ 130 milhões de carne suína para a Argentina em 2011. Destacamos que o Brasil importa, na mesma ordem de grandeza, individualmente, volumes de batata, alho, pera, arroz e produtos lácteos, entre leite UHT e queijos. Existe a perspectiva até mesmo de a Argentina vir a exportar carne de aves para o Brasil", afirma Pedro de Camargo Neto, presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína - ABIPECS. Segundo ele, "a discriminação que vem sendo praticada pelo vizinho com a carne suína torna-se insustentável".

Hong Kong, principal destino - Hong Kong permanece como principal destino da carne suína brasileira, respondendo por 33% das exportações no ano.

Rússia reage - A Rússia foi no passado o principal destino das exportações de carne suína e liderou as vendas do Brasil por 11 meses, em 2011. Em fevereiro, passou a ocupar a terceira posição, reagindo de posição inferior à registrada em janeiro, quando estava em sexto lugar. Essa melhora no ranking se deve à habilitação de dois novos frigoríficos brasileiros em janeiro, autorizados a exportar para o mercado russo.

"Iniciamos o mês de março com quatro frigoríficos habilitados e prevemos um novo pequeno crescimento. É essencial, porém, a interrupção das suspensões temporárias existentes em inúmeras unidades de abate e o fim do embargo, comprovadamente irregular, dos estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso", diz Pedro de Camargo Neto. As vendas para a Rússia caíram 73,04% em toneladas, em janeiro e fevereiro deste ano, em relação ao mesmo período de 2011, e 72,08% em receita. O Brasil exportou 8,11 mil t e obteve uma receita de US$ 25 milhões. Em janeiro e fevereiro do ano passado, o faturamento foi de US$ 89,63 milhões.

Ucrânia, crescimento de 397% - Para a Ucrânia houve um crescimento de 397,61% das exportações de janeiro e fevereiro, em volume, e de 342,89% em valor (13.076 t e US$ 36 milhões), em relação a igual período de 2011 (2.628 t e US$ 8,13 milhões). Angola é o quarto maior comprador.

Fonte: Assessoria de Imprensa: Maria Helena Tachinardi – 11- 9644-0363

Data: 12-03-2012
  Enviar está notícia por e-mail  Imprimir esta notícia 

Notícias relacionadas
»Valtra e concessionária Pampa (MT) realizam evento “Pulverizando Conhecimento”
»Seminário internacional de industrialização da carne será um dos eventos paralelos da MERCOAGRO 2014
»Produtores de grãos do Brasil projetam margem reduzida na safra 2014/15
»Agro exporta quase US$ 50 bi no primeiro semestre
»Com crescimento de 119%, Sul quer ser o maior produtor de leite do Brasil

Notícias anteriores
20-27/Jun  28/Jun-05/Jul  06-13/Jul  14-21/Jul    

Noticias recentes

Copyright © 2000 - 2014 Agronline.com.br