Agronline
Página inicial dos artigos
Notícia
 
Agricultura
 
Agronegócios
 
Geral
Pecuária
 
Política
 
Tecnologia
 
Inicio > Agronegócios
Empresários do agronegócio acreditam que bolsa de valores pode trazer vantagens
Os empresários do agronegócio estão mais conscientes de que abrir o capital na bolsa de valores pode trazer vantagens. A opinião é da presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Maria Helena Santana, que regula o mercado de capitais no Brasil. Ela disse que as companhias do setor que foram para a bolsa, conseguiram melhorar a administração. Nos últimos dois anos, corporações de diversos segmentos, como frigoríficos e usinas, iniciaram as operações na BMF Bovespa. Para a CVM, outras empresas podem seguir o exemplo.

Em 2007, o mercado de capitais do Brasil registrou um forte movimento de ofertas públicas iniciais de ações. A chamada IPO é feita quando a empresa começa a negociar na bolsa de valores. Há dois anos, foram registradas 51 ofertas que passaram dos R$ 28,8 bilhões. Grandes empresas do agronegócio integraram a lista, como os frigoríficos JBS, Marfrig e Minerva, além dos grupos sucroalcooleiros São Martinho e Açúcar Guarani. Já em 2008, foram quatro IPOs com valor maior do que R$ 7,5 bilhões. Entre elas, a Nutriplant, que atua no setor de insumos agrícolas.

Para entrar no mercado de capitais, as empresas têm que se adaptar a rigorosas regras de administração e de prestação de contas aos investidores. De acordo com a CVM, essa profissionalização é cada vez mais levada em conta pelos empresários do agronegócio. E a bolsa de valores pode ser o destino de outras empresas do setor para ampliar atividades e sobreviver em um mercado mais competitivo.

– É muito positivo que as empresas desse setor vejam as vantagens de formalizar toda a sua atividade, de organizar, profissionalizar, dispor-se a prestar contas, dar contas de seu desempenho para buscar o capital no mercado. O fato dos líderes do setor terem feito isso faz com que outras façam o mesmo. Para poder concorrer de uma forma minimamente competitiva, elas são obrigadas também a se profissionalizar, organizar sua governança, ou serão engolidas – explica a presidente da CVM, Maria Helena Santana.

Data: 04-09-2009
Fonte: Canal Rural
  Enviar está notícia por e-mail  Imprimir esta notícia 

Notícias relacionadas
»Sicredi marca presença na 4ª Semana Nacional de Educação Financeira
»Com foco em produtos sustentáveis, Arysta LifeScience participa do CPAgro 2017 da Copacol
»FMC estimula produtores a praticar ações eficazes de manejo na AgroBrasília 2017
»CARNE FRACA: Mapa anuncia ações contra fraudes a embaixadas de 29 países
»Laticínios Davaca aposta em ERP da Sankhya para melhorar a gestão do negócio e sustentar ritmo de crescimento acelerado

Notícias anteriores
07-14/Jul  15-22/Jul  23-30/Jul  31/Jul-07/Ago    

Noticias recentes

Copyright © 2000 - 2020 Agronline.com.br