Agronline
Página inicial dos artigos
Notícia
 
Agricultura
 
Agronegócios
 
Geral
Pecuária
 
Política
 
Tecnologia
 
Inicio > Agronegócios
MT - Armazéns: Certificação será obrigatória a partir de 2010, aponta Conab
Levantamento divulgado recentemente pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) aponta que mais de 500 mil toneladas de milho estão a céu aberto por falta de espaço nos armazéns. Essa produção está concentrada principalmente nas regiões norte, médio norte e noroeste do Estado, onde a estrutura de armazenagem da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é precária para atender a safra estadual de grãos, estimada 27,48 milhões de toneladas, ou, 20,44% do total a ser ofertado pelo Brasil, cerca de 134,49 milhões de toneladas.

Essa realidade, entretanto, pode mudar a partir do próximo ano com a instrução normativa que estabelece os requisitos para a certificação de armazéns em ambiente natural e que passa a vigorar em janeiro de 2010. A medida, publicada no Diário Oficial da União, traz impacto para os armazéns, que serão obrigados a fazer a certificação. A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) é uma das três universidades do país credenciadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para formar auditores para certificação.

De acordo com o professor Carlos Caneppele, coordenador do Curso de Auditores Técnicos para Certificação de Unidades Armazenadoras, da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da UFMT, a certificação propiciará a modernização das técnicas operacionais e profissionais no setor, minimizando as perdas que ocorrem nos armazéns. Segundo ele, as perdas chegam a 10%, “dependendo da situação do armazenamento e do transporte dos produtos”.

A certificação tem por finalidade adequar os armazéns aos requisitos obrigatórios da Conab e às conformidades técnicas dentro da armazenagem. “Em Mato Grosso, muitos armazéns terão de fazer adequações para serem credenciados de acordo com a instrução normativa do Mapa”.

Caneppele explicou que a base da certificação compreende requisitos técnicos e procedimentos para guarda e conservação dos produtos, contemplando ainda a capacitação técnica da mão-de-obra, a higienização de máquinas e equipamentos (controle de pragas) e segurança das unidades armazenadoras.

Em todo o Estado são 2.156 armazéns. De acordo com a Conab, 391 são credenciados e precisam se adequar às novas regras para continuar a receber e armazenar os estoques governamentais.

Além de reduzir as perdas no processo de armazenagem, o Sistema Nacional de Certificação de Unidades Armazenadoras, coordenado pelo Mapa, servirá para garantir a qualidade dos produtos no mercado interno, melhorar o relacionamento entre os produtores, armazenadores e a sociedade, e aumentar a competitividade internacional do agronegócio brasileiro.

Segundo o professor Caneppele, o cadastramento na Conab é um dos requisitos obrigatórios da certificação. “Para isso, todo armazém deve estar cadastrado na Companhia, ou seja, seus dados técnicos devem estar disponíveis no banco de dados”. A certificação é obrigatória para todas as empresas armazenadoras jurídicas que prestam serviços remunerados para terceiros, independentemente da propriedade do produto. O credenciamento realizado pela Conab está relacionado exclusivamente com os estoques de propriedade do governo federal.

Algumas regras para a certificação de armazéns serão obrigatórias no momento da primeira vistoria da unidade armazenadora pela entidade certificadora e outros terão prazos de três ou cinco anos para os armazenadores se adequarem. O Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial (Inmetro) já iniciou o credenciamento dos Organismos de Certificação de Produto (OCP).

Em Mato Grosso, a OCP-Certifica, do Rio Grande do Sul, é representada pela empresa Plenum, em Cuiabá.

UFMT - A Universidade Federal de Mato Grosso e as Universidades Federais de Pelotas-RS e Viçosa- MG foram as únicas credenciadas pelo Mapa para formar auditores técnicos para certificação de unidades armazenadoras. Os profissionais formados aqui vão poder atuar em todo o país. A demanda é grande, pois só no Estado são mais de 2 mil armazéns. O curso tem 30 vagas para engenheiros agrônomos.

As inscrições podem ser feitas até hoje (04/09), no Núcleo de Tecnologia em Armazenagem, na própria UFMT, ou pelo site www.fundacaouniselva.org.br. O curso vai ser realizado no período de 14 a 19 de setembro, com uma carga horária de 48h/aula.

Data: 04-09-2009
Fonte: Diário de Cuiabá
  Enviar está notícia por e-mail  Imprimir esta notícia 

Notícias relacionadas
»Sicredi marca presença na 4ª Semana Nacional de Educação Financeira
»Com foco em produtos sustentáveis, Arysta LifeScience participa do CPAgro 2017 da Copacol
»FMC estimula produtores a praticar ações eficazes de manejo na AgroBrasília 2017
»CARNE FRACA: Mapa anuncia ações contra fraudes a embaixadas de 29 países
»Laticínios Davaca aposta em ERP da Sankhya para melhorar a gestão do negócio e sustentar ritmo de crescimento acelerado

Notícias anteriores
07-14/Jul  15-22/Jul  23-30/Jul  31/Jul-07/Ago    

Noticias recentes

Copyright © 2000 - 2020 Agronline.com.br